É possível reparar um parabrisa trincado

Benefícios

 

Ao invés da reposição total a opção vem se consagrando por agregar qualidade, rapidez e preço acessível.

 

O reparo é realizado relizado em torno de 60 minutos de acordo com as normas internacionais de segurança automotiva, onde se estabelecem as áreas e os tamanhos permitidos para a realização do serviço.

 

Na Holanda, por exemplo, a cada dez pára-brisas trincados, sete são reparados. No Brasil, porém, apenas três ou quatro são reparados.

 

Quando optar pelo reparo e pela troca total?
“Sempre que houver uma trinca no pára-brisa de até dez centímetros, que não esteja muito próxima da borda do vidro, não atinja a zona de visão do motorista e nem o PVB (polivinilbutirol) – uma camada plástica entre as duas lâminas do pára-brisa, que apenas o técnico poderá perceber no ato da realização do serviço – então o ideal é optar pelo reparo”, conta Carvalho.

 

O serviço é destinado para quem tem seguro de vidros e se destaca por ser rápido e ecologicamente correto, já que optando por um reparo o cliente também contribui para as ações do Instituto Ayrton Senna.

 

Caso não seja possível realizar o reparo, é realizada a correta substituição do vidro, com equipamentos de alta tecnologia e profissionais treinados para o serviço. A empresa só utiliza vidros originais, produzidos pelas mesmas fábricas que fornecem às montadoras, bem como segue os procedimentos das mesmas, para garantir uma instalação tão perfeita quanto a original de fábrica.

 

Cuidado – Retirar película de proteção solar no vidro traseiro pode causar dano ao desembaçador
A violência urbana não pára de crescer. As pessoas se protegem e elegem acessórios de segurança como item de moda e criam até mesmo padrões estéticos. Desde 1998, quando foi legalizada, a película protetora se tornou um acessório estético, promovendo, além do bem-estar, segurança aos seus usuários. Entretanto, o que pouquíssimas pessoas sabem, é que a retirada dessa película , em caso de manutenção ou por uma escolha inconveniente da cor ou transparência, em que muitos motoristas não se adaptam, pode causar danos irreparáveis, principalmente ao desembaçador, chegando à necessidade da troca do vidro.

 

A retirada da película requer extremo cuidado, e deve ser feita por profissionais treinados e altamente qualificados, já que fica colado no desembaçador, apresentado grande risco de danificar seus filetes durante uma manutenção.

 

Como o dano provocado pela retirada do filme, independe da capacidade e do treinamento de profissionais.

 

Escolher a qualidade do filme é imprescindível para não se ter dor de cabeça
Grandes empresas desenvolveram filmes de alta performance para vidros automotivos e também para outras aplicações, adaptado às condições climáticas brasileiras. Algumas marcas apresentam, além do certificado e do selo holográfico, eficácia comprovada no filtro de raios ultravioletas, diminuição do calor e da luminosidade.

 

No caso de dano ao desembaçador traseiro, ou manchas e escamação nos vidros, a única saída é a troca dos mesmos. Infelizmente essa é a única solução para estes casos. Por isso é preciso ter certeza da qualidade do produto, da cor e transparência desejadas antes da colocação, pois uma escolha mal feita pode causar muitas dores de cabeça.